terça-feira, 14 de janeiro de 2014

A minha Maria

Então o que se passou no ano 2013 com a minha Maria? Foi um ano complicado para ela. A empresa onde trabalhava faliu por má gestão dos donos, e por esse motivo, ela ficou sem trabalho e sem indemnização porque supostamente não haviam mais verbas. Supostamente porque soube-se há semanas que ainda teve aberta mais uns tempos, o que deveria ter chegado para indemnizar todas as funcionárias, mas enfim, esse assunto está encerrado.
Então, desde Abril que está desempregada. Na altura, por opção não quis procurar imediatamente trabalho porque o meu Guilherme ia ser operado em Maio, e por esse motivo, ela teria de ficar em casa por assistência à família. Tendo isso em conta e em consideração pelas empresas que poderiam contrata-la, optou, e bem, na minha opinião, ficar mais uns dias.

Começou então em Junho a pensar o que queria fazer da vida dela. Tentou um negócio próprio com ajuda do Centro de Emprego, mas sem sucesso, pois foram colocados alguns entraves a nível financeiro.
Tentou regressar aos estudos, fez-se um investimento jeitoso e entrou numa universidade privada. Acabou por desistir por não se adaptar ao ritmo e por não se conseguir afastar dos filhos.
Então, regressou à procura de trabalho em qualquer área em qualquer lado, entenda-se, arredores de Lisboa, de Vila Franca para baixo. Até agora, conseguiu um estágio na câmara de Vila Franca quase não remunerado (recebe o subs de almoço e mais 90 €). É melhor que nada, mas......não chega para as despesas que tínhamos quando ficou desempregada. E convínhamos, não é nada atractivo. Estará no máximo durante um ano nessa função e não pode ficar segundo as regras do Centro de Emprego.

Assim, continua à procura de trabalho, tendo preferência na área administrativa, mas aceitando quase todo o tipo de trabalho.

Felizmente, eu estou seguro porque ainda há muito trabalho na minha área, por aqui, e lá fora.

Vamos ver como corre este ano.
Enviar um comentário